UM OLHAR SOBRE A ESCOLA DA ASSEMBLEIA: A ESCOLA DO LEGISLATIVO DO RIO GRANDE DO NORTE

Leonardo dos Santos Araujo

Resumo


A obrigatoriedade legal da União, dos estados e do Distrito Federal de estabelecerem escolas de governo, a partir da promulgação da Emenda Constitucional nº 19, e o decorrer do tempo resultaram no crescimento quantitativo e diversificado dessas instituições. Entretanto, a importância delas para a sociedade, em sentido amplo, não encontra respaldo em questões normativas ou quantitativas. A respeitável posição que as escolas de governo atingiram encontra-se vinculada à significativa contribuição dessas para a maior efetividade do Estado, por meio da melhoria do exercício de suas funções e de seus serviços. Nesse cenário, esta pesquisa tem como objetivo apresentar um contexto abrangente acerca das escolas de governo até expor a Escola da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte ou simplesmente Escola da Assembleia. Para atingir a finalidade proposta, utilizou-se a pesquisa bibliográfica e a pesquisa documental como estratégias de pesquisa e como fontes de dados. Entendeu-se que a pesquisa atingiu os objetivos delineados e que há oportunidade para a análise da atuação da Escola da Assembleia perante as demais Escolas do Legislativo.


Palavras-chave


Escolas de governo. Escolas do Legislativo. Escola da Assembleia. Serviço Público.

Texto completo:

PDF

Referências


ABEL. Estatuto da Associação Brasileira das Escolas do Legislativo e de Contas. Brasília. Disponível em: https://www.portalabel.org.br/images/Estatuto-Abel.pdf. Acesso em: 23 jul. 2020.

AIRES, Renan Felinto de Farias et al. Escolas de governo: o panorama brasileiro. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 48, n. 4, p. 1007–1027, 2014. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/30908. Acesso em: 19 ago. 2018.

ALMG. Resolução No 5116/1992, de 11 de julho de 1992. Cria a Escola do Legislativo no âmbito da Secretaria da Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: Minas Gerais Diário do Legislativo, 1992. Disponível em: https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=RAL&num=5116&comp=&ano=1992. Acesso em: 2 out. 2018.

ALRN. Resolução No 003/2003, de 24 de abril de 2003. Dispõe sobre a criação do Instituto do Legislativo Potiguar. Natal: Diário Oficial do Estado, 2003. Disponível em: http://www.al.rn.gov.br/portal/assets/ilp/imgs/documentos/3.ATO-DE-CRIAcaO-DA-ESCOLA.pdf. Acesso em: 6 ago. 2018.

ALRN. Resolução No 037/2008, de 27 de novembro de 2008. Dispõe sobre a reestruturação organizacional do Instituto Legislativo Potiguar. Natal: Diário Oficial do Estado, 2008.

ALRN. Ato No 202/2009, de 17 de agosto de 2009. Natal: Boletim Oficial, 2009. a.

ALRN. Ato No 053/2009, de 16 de fevereiro de 2009. Natal: Boletim Oficial, 2009. b.

ALRN. Regimento Interno. 2o versão. Natal.

ALRN. Resolução No 054/2009, de 30 de setembro de 2009. Altera a estrutura organizacional da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências. Natal. Disponível em: http://www.al.rn.gov.br/portal/_ups/legislacao//arq5045e39a9e536.pdf. Acesso em: 11 ago. 2018d.

ALRN. Ato No 266/2014, 6 de junho de 2014. Aprova alterações e a consolidação do Regimento Interno e dos Regulamentos da Biblioteca “Deputado Márcio Marinho”, da Pós-Graduação Lato Sensu e da Secretaria Escolar do Instituto do Legislativo Potiguar - ILP, tudo em conformidade com a Resolução no 0050/2012, de 27.11.2012, publicada no Diário Oficial do Estado, Seção Diário da Assembleia Legislativa, de 28.11.2012, e dá outras providências. Natal: Boletim Oficial, 2014. a.

ALRN. Regimento Interno do Instituto do Legislativo Potiguar . 3a versão. Natal: Boletim Oficial, 2014. b.

ALRN. Resolução No 035/2016, de 10 de junho de 2016. Revoga as Resoluções no 003/2003, de 16 de abril de 2003, e 037/2008, de 23 de dezembro de 2008, e dispõe sobre a criação da Escola da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte, e dá outras providências. Natal: Boletim Legislativo Eletrônico, 2016. Disponível em: http://www.al.rn.gov.br/consultaboe/Visualizador.aspx?id=24. Acesso em: 20 nov. 2018.

ALRN. Resolução No 090/2017, de 14 de dezembro de 2017. Dispõe sobre a reorganização da estrutura administrativa da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte e dá outras providências. Natal: Boletim Legislativo Eletrônico, 2017. Disponível em: http://www.al.rn.gov.br/portal/consultaboe/Visualizador.aspx?id=395. Acesso em: 5 jul. 2018.

ALRN. História. 2018. Disponível em: http://www.al.rn.gov.br/portal/p/historia. Acesso em: 4 jul. 2018.

ASSIS, Luiz Fernandes De. Educando para a cidadania: A experiência da escola do Legislativo. Educação & Sociedade, Campinas, v. 18, n. 59, p. 367–385, 1997. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v18n59/18n59a07.pdf. Acesso em: 1 out. 2018.

BERQUIÓ, Urbano C. Qual o papel de uma escola nacional de administração. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 63, n. 2, p. 237–241, 2012. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/97/93. Acesso em: 4 out. 2012.

BRASIL. Decreto No 6.693/1944, de 14 de julho de 1944. Dispõe sobre a criação de uma entidade que se ocupará do estudo da organização racional do trabalho e do preparo de pessoal para as administrações pública e privada. Rio de Janeiro: Diário Oficial da União, 1944. . 1944. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-6693-14-julho-1944-452525-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 11 set. 2018.

BRASIL. Decreto No 7.473/1945, de 18 de abril de 1945. Dispõe sôbre a criacão do Instituto Rio Branco e dá outras providências. Rio de Janeiro. . 1945 a. Disponível em: http://www.institutoriobranco.itamaraty.gov.br/images/legislacao/decreto_lei_7473_1945.pdf. Acesso em: 11 set. 2018.

BRASIL. Decreto No 8.461/1945, de 26 de dezembro de 1945. Dá nova redação ao Decreto-lei no 7.473, de 18 de abril de 1945, que dispõe sobre a criação do Instituto Rio Branco. Rio de Janeiro. . 1945 b. Disponível em: http://www.institutoriobranco.itamaraty.gov.br/images/legislacao/decreto_lei_8461_1945.pdf

BRASIL. Decreto No 9.032/1946, de 6 de março de 1946. Dispõe sôbre o ingresso na carreira de Diplomata e o aperfeiçoamento de funcionários da referida carreira, e dá outras providências. Rio de Janeiro. . 1946. Disponível em: http://www.institutoriobranco.itamaraty.gov.br/images/legislacao/decreto_lei_9032_1946.pdf. Acesso em: 29 set. 2018.

BRASIL. Decreto No 37.608/1955, de 14 de Julho de 1955. Institui no Ministério da Educação e Cultura um curso de altos estudos sociais e políticos, denominado Instituto Superior de Estudos Brasileiros, dispõe sobre o seu funcionamento e dá outras providências. Rio de Janeiro: Diário Oficial da União, 1955. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1950-1959/decreto-37608-14-julho-1955-336008-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 1 out. 2018.

BRASIL. Decreto-Lei de no 200/1967, de 25 de fevereiro de 1967. Dispõe sôbre a organização da Administração Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa e dá outras providências. Brasília. . 1967 a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-lei/del0200.htm. Acesso em: 18 ago. 2018.

BRASIL. Decreto No 60.602/1967, de 20 de abril de 1967. Transforma os Cursos de Aperfeiçoamento do Ministério da Fazenda em Centro de Treinamento e Desenvolvimento de Pessoal do Ministério da Fazenda (CETREMFA), e dá outras providências. Brasília. . 1967 b. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1960-1969/decreto-60602-20-abril-1967-401487-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 2 out. 2018.

BRASIL. Decreto No 73.115/1973, de 8 de novembro de 1973. Transforma o Centro de Treinamento e Desenvolvimento do Pessoal do Ministério da Fazenda, CETREMFA - em Escola de Administração Fazendária - ESAF - e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União, 1973. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto/Antigos/D73115.htm. Acesso em: 2 out. 2018.

BRASIL. Decreto No 93.277/1986, de 19 de setembro de 1986. Institui a Escola Nacional de Administração Pública - ENAP e o Centro de Desenvolvimento da Administração Pública - CEDAM, e dá outras providências. Brasília. . 1986. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1980-1989/1985-1987/d93277.htm. Acesso em: 11 set. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988. Brasília: Diário Oficial da União, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 23 jun. 2018.

BRASIL. Lei 8.987/1995. Dispõe sobre o regime de concessão e permissão da prestação de serviços públicos previsto no art. 175 da Constituição Federal, e dá outras providências. Brasília. . 1995 a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8987cons.htm. Acesso em: 18 ago. 2018.

BRASIL. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília. . 1995 b. Disponível em: http://www.biblioteca.presidencia.gov.br/publicacoes-oficiais/catalogo/fhc/plano-diretor-da-reforma-do-aparelho-do-estado-1995.pdf. Acesso em: 12 set. 2018.

BRASIL. Emenda Constitucional No 19/1998. Modifica o regime e dispõe sobre princípios e normas da Administração Pública, servidores e agentes políticos, controle de despesas e finanças públicas e custeio de atividades a cargo do Distrito Federal, e dá outras providências. Brasília. . 1998. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc19.htm. Acesso em: 6 ago. 2018.

CARVALHO, Raquel Melo Urbano De. Curso de Direito Administrativo: parte geral, intervenção do Estado e estrutura da administração. 2. ed. Salvador: JusPODIVM, 2009.

COSSON, Rildo. Entre dois modelos: o CEFOR como escola de governo. E-Legis, Brasília, n. 1, p. 25–28, 2008. a. Disponível em: https://bd.camara.leg.br/bd/handle/bdcamara/1754. Acesso em: 23 jul. 2020.

COSSON, Rildo. Escolas do legislativo, escolas de democracia. Brasília: Câmara dos Deputados; Edições Câmara, 2008. b. Disponível em: https://bd.camara.leg.br/bd/handle/bdcamara/2662. Acesso em: 20 jul. 2020.

DURAN, Debora. A educação a distância no processo de formação continuada da administração pública: as contribuições da Revista do Serviço Público. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 68, n. 3, p. 705–736, 2017. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/1508/1585. Acesso em: 1 out. 2018.

FERRAREZI, Elisabete; TOMACHESKI, João Alberto. Mapeamento da oferta de capacitação nas Escolas de Governo no Brasil: gestão da informação para fortalecimento da gestão pública. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 61, n. 3, p. 287–303, 2010. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/51/47. Acesso em: 1 out. 2018.

FILATRO, Andréa; MOTA, Natália Teles Da. Ambientes virtuais de aprendizagem: desafios de uma escola de governo. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 64, n. 1, p. 109–122, 2013. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/117/114. Acesso em: 1 out. 2018.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Estatuto. Rio de Janeiro. Disponível em: https://ebape.fgv.br/sites/ebape.fgv.br/files/paginas/set/16/estatuto-fgv-2013.pdf. Acesso em: 29 set. 2018.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Portal FGV - Fundação Getúlio Vargas. 2018. Disponível em: https://portal.fgv.br/. Acesso em: 29 set. 2018.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS - EBAPE. EBAPE. 2016. Disponível em: https://ebape.fgv.br/. Acesso em: 29 set. 2018.

GAETANI, Francisco. Escolas de Governo: limites e condicionalidades. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 45, n. 2, p. 113–148, 1994. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/803/622. Acesso em: 4 out. 2018.

INSTITUTO RIO BRANCO. História. 2018. Disponível em: http://www.institutoriobranco.itamaraty.gov.br/historia. Acesso em: 29 set. 2018.

JESUS, Anderson Macedo De; MOURÃO, Luciana. Conhecimento organizacional em escolas de governo: um estudo comparado. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 46, n. 4, p. 939–968, 2012. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/7119/5670. Acesso em: 19 ago. 2018.

MADRUGA, Florian. Escolas do Legislativo: a nova visão do parlamento brasileiro. Senatus, Brasília, v. 6, n. 1, p. 31–34, 2008. Disponível em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/131834/escolas_legislativo.pdf?sequence=3. Acesso em: 2 jan. 2019.

MARTINS, Gilberto de Andrade; THEÓPHILO, Carlos Renato. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MATTOS, Alexandre Morgado. A Escola Interamericana de Administração Pública (EIAP). Revista do Serviço Público, Brasília, v. 97, n. 2, p. 65–76, 1965. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/2828/1659. Acesso em: 2 out. 2018.

MENDES, Gilmar Ferreira; BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Regulamento do Instituto Rio Branco. [s.l: s.n.]. . 2014. Disponível em: http://www.institutoriobranco.itamaraty.gov.br/images/legislacao/portaria-179_2014-regulamento-irbr-1.pdf. Acesso em: 29 set. 2018.

MORAES, Alexandre De. Direito constitucional. 24. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

PACHECO, Regina Silvia. Escolas de governo: tendências e desafios — ENAP-Brasil em perspectiva comparada. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 51, n. 2, p. 35–53, 2000. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/324/330. Acesso em: 1 out. 2018.

PACHECO, Regina Silvia. Escolas de governo como centros de excelência em gestão pública: a perspectiva da ENAP — Brasil. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 53, n. 1, p. 75–88, 2002. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/280/286. Acesso em: 1 out. 2018.

RANZINI, Milena de Senne; BRYAN, Newton Antonio Paciulli. Capacitação e formação para o setor público e os modelos de escola de governo no Brasil. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 68, n. 2, p. 417–438, 2017. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/1004/1065. Acesso em: 30 set. 2018.

SANTOS, Maria Helena de Castro; BRITO, Marcelo. Escolas de governo e profissionalização do funcionalismo público. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 119, n. 1, p. 69–99, 1995. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/728/574. Acesso em: 4 out. 2018.

SOUZA, Eda Castro Lucas De. A capacitação administrativa e a formação de gestores governamentais. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 1, p. 73–88, 2002. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/ rap/article/viewFile/6428/5012. Acesso em: 11 set. 2018.

TAVARES-SILVA, Tânia; DIAS, Paulo; VALENTE, José Armando. Os suportes de uma comunidade virtual de aprendizagem: uma experiência do Governo do Estado de São Paulo, Brasil. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 64, n. 2, p. 223–247, 2013. Disponível em: https://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/view/122/141. Acesso em: 1 out. 2018.

WANDERLEY, Sergio. Iseb, uma escola de governo: desenvolvimentismo e a formação de técnicos e dirigentes. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 50, n. 6, p. 913–936, 2016. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/64708/62580. Acesso em: 1 out. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Legislativo Paranaense ISSN 2595-6957

Indexado em:

Google Acadêmico